DESCULPE-ME

 Desculpe meus princípios bobos, meus valores obsoletos e o fato deles serem tão diferentes dos teus. Desculpe minha fala mansa, minhas convicções retrogradas, minha terrível mania de querer entender e justificar o que os outros fazem e pensam. Desculpe as mudanças de opinião que não vem acompanhadas de mudança de caráter, as desavenças superadas em minutos e por ser facilmente convencida de que me equivoquei. Perdoa-me se me julgas fraca, indecisa, insensata, mas é que já não me importo com o teu julgamento. Não, não é aquele não se importar de quem fala tudo o que pensa como se estivesse dizendo a verdade mais absoluta do mundo, sem dar-se conta que esta julgando a todos – principalmente a si mesmo. Não acho que o que eu pense ou fale seja o mais correto, é só minha maneira de ver o mundo. Espero que entendas que simplesmente cansei de me preocupar, embora me preocupe com tudo que tens a dizer. Te ouço, te entendo e tento compreender tuas palavras, mas teu julgamento já não é importante. Teu carinho, tua estima, teu respeito, isso sim me interessa.

Anúncios

Um pensamento sobre “DESCULPE-ME

  1. Angi disse:

    Adorei!
    E quem não se identifica, né?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s