ENTÃO É NATAL

Eis que chega o natal. Sempre minha data preferida. Não sei explicar o porquê. Há pessoas que se sentem melancólicas, tristes ou indiferentes nesta dia, mas eu não. Para mim o natal sempre foi uma data a ser comemorada, festejada, sentida e vivida de todas as formas.

Desde pequena, os natais foram comemorados na casa de minha avó. Todos os primos, tios e parentes festejando. Meu avô sempre era o Papai Noel. Lembro-me como se fosse ontem de sentir muita pena do meu avô, que sempre saia para comprar cigarros na hora em que chegava o bom velhinho. O pobre sempre perdia de ver o Papai Noel.

Lembro do coral dos primos, o qual era brilhantemente conduzido pela Tia Tita e toda sua afinação. Sempre as mesmas músicas, sempre a mesma ordem. Nunca soubemos todas as letras.

Lembro do Strognoff, que segundo a minha avó não pode faltar, porque senão “os guris vão reclamar.” O bole feito de Champagnet e abacaxi. O peru, a salada de fruta, o arroz à grega, os suflês, o molho Chutney e toda a comilança.

Também lembro do ano em que meu avô faleceu no dia 06 de dezembro. Houve um grande impasse sobre se devíamos comemorar o natal naquele ano. Minha avó preferiu manter a tradição e celebrar aquela data tão importante para ele. Naquele ano não tivemos Papai Noel. Mas o fato de que 12 anos depois daquele triste natal continuamos nos reunindo dia 24, me faz ter certeza que ela tomou a decisão correta.

Lembro ainda dos dois Natais que passei longe de casa. De como pensava que esse seria o dia mais triste de todo ano e acabei me surpreendendo ao descobrir que no natal também se ganha novas famílias e que é possível sim sentir o amor, a festa, a alegria desta data em qualquer lugar e situação. É tudo uma questão de espírito.

E hoje, dia 24 de dezembro de 2012, estou em casa, irei à Missa de Natal com minha mãe, depois para casa de minha avó, onde estarão todos os primos e tios. Comeremos, beberemos e jogaremos conversa fora. Reclamaremos de como está quente na sala, minha vó dirá que ano que vem coloca um “Spli” e os guris irão pra churrasqueira beber cerveja. Minha vó terá feito o seu famoso Strognoff e andará de um lado pro outro tentando servir todo mundo, mesmo com seus 85 anos. Quando todos estiverem de barriga cheia, se iniciará uma discussão se esse ano devemos ou não ter Papai Noel, afinal de contas o mais novo de nós está com 18 anos. Depois de muito impasse, alguém será gentilmente escalado, vestirá a roupa trazida por minha tia diretamente dos EUA e derreterá, de forma que todos dirão que ano que vem irão comprar uma roupa mais fresquinha. Para esperar o Papai Noel, apagaremos todas as luzes e os primos, no seu magnífico coral regido pela tia Tita, cantarão as mesmas músicas natalinas, as quais, mesmo depois de todos esses anos, ainda não sabemos as letras. O Papai Noel rezará uma ave Maria, entregará os presentes e se retirará suando. Faremos o amigo secreto com muitos risos, piadas e alguns discursos emocionados.

Um pouco mais de conversa, um pouco mais de bebida. Todos ajudarão a limpar a casa da vó e seguem para suas outras festas ou para sua casa para uma boa noite de sono. Mais um natal. Ainda bem que algumas coisas não mudam.

Anúncios

2 pensamentos sobre “ENTÃO É NATAL

  1. gisberto ,Ingolfo Rembold disse:

    MEUS PARABENS – CONSEGUIU COM EFICÁCIA IMPAR TRADUZIR A FESTA NATALINA DA FAMILIA –

  2. Liége Wagner disse:

    Lindo Lelê. Me emocionei. Bjs

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s