UM ANO É POUCO

Faz um ano que escrevo pior. Acho infinitamente mais fácil escrever quando se está na fossa e há um ano que vivo mais feliz. Já não sofro com o desamor e por isso as histórias estão cada vez mais esparsas. Ainda não aprendi a escrever sobre a felicidade.

Então faz um ano que escrevo sobre amenidades e quando escrevo sobre o sofrimento tenho que puxar na memória uma sensação já deixada para trás ou uma dor vivida há tempos. Por que há um ano que já não sinto a agoniada sensação de não querer.

Roubo histórias, invento e escrevo sobre o que já não sinto mais. Tenho que aprender a escrever sobre o que ando vivendo, mas não consigo. Toda vez que sento para colocar no papel as palavras somem. É engraçado. Talvez ainda não tenha me acostumado de verdade a um amor que me faz bem.

Afinal, um ano é pouco. Muito pouco para quem já havia se acostumado a gostar de um jeito nervoso, a gostar sempre com medo, a gostar do que consumia cada parte do meu ser. Um ano é pouco para se acostumar ao carinho, a ser bem tratada e a querer ser sempre melhor não para o outro, mas com o outro. Um ano é pouco para aprender que ser quem se é já é mais do que suficiente e que nossas falhas serão toleradas como parte disso.

Um ano é pouco para quebrar o vício do chicote. Para perceber que o crescimento se faz em dupla e que a melhor maneira de se amar alguém é de fato amando a si mesmo. Há um ano que sou mais eu e há um ano que sou mais eu contigo.

A força das palavras é algo interessante e me lembro direitinho quando em uma tarde ensolarada no litoral catarinense, depois de eu fazer um estardalhaço e começar uma briga que nunca deveria ter começado tu me disse: “eu te amo muito, mas não vou me fazer mal. E isso que tu esta fazendo, me faz muito mal.”

Naquele momento vi mais uma vez tua grandeza e aprendi contigo mais uma definição do que o amor deve ser: não se fazer mal.

E sim, um ano é pouco. Na arte de se relacionar estamos apenas engatinhando. Mas se é pouco, é também suficiente para perceber que aprender a caminhar a teu lado será sempre recompensador.

Anúncios

Um pensamento sobre “UM ANO É POUCO

  1. alyleigh disse:

    Um ano já se passou, um ano que leio suas emoções, um ano que fico feliz com a felicidade dessa minha amiga, um ano que se torne 100, 200, 1000, que seja eternizado nesse Mundo cibernético, que sirva de de conselho para talvez alguém que esteja passando pelo que passou, e que talvez em um ano tudo pode mudar pra melhor, Um ano amiga, irmã….Um ano! Bjão

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s